O casamento é uma das tradições mais antigas da nossa sociedade e que, apesar do passar dos anos, nunca perde seu encanto. Tanto a cerimônia quanto a festa de casamento são cheias de rituais, cada cultura com suas particularidades.

Desde o momento em que marcam a data até a lua de mel, os noivos são cercados de crenças e costumes e precisam decidir o que faz ou não sentido para eles.

Esse universo é tão mágico que resolvemos preparar as 6 tradições e curiosidades mais populares. Confira!

1. As alianças

Antes da festa de casamento, acontece a cerimônia. Um dos ritos mais aguardados durante essa celebração é a troca das alianças. A forma circular do anel, sem começo e fim, faz referência à continuidade e eternidade do amor entre o casal.

O costume de usar o anel no dedo anelar da mão esquerda vem de uma crença antiga. Acreditava-se que neste dedo tinha uma veia ligada direto ao coração.

2. O vestido de noiva

O branco é a cor mais comum escolhida pelas noivas. Mas nem sempre foi assim. Essa cor passou a ser popularmente usada após o casamento da rainha Victória da Grã-Bretanha, em 1840. Essa celebração foi um marco na história, afinal, ela foi a primeira nobre a se casar por amor, visto que antes os casamentos eram “arranjados” pelas famílias.

Ela casou-se com seu primo Albert, que também foi revolucionário em seu pedido, pois não era permitido pedir a mão de uma rainha em casamento. A rainha ousou em usar um véu e adornos com flores e sem coroa. O amor do casal inspirou e continua inspirando vários casais (mesmo sem saber) a adotar essa cor para seu vestido de casamento.

Hoje, a maioria das noivas ainda usa branco, mas essa não é uma regra. As cores como off-white, rosê e champagne são bastante usadas. Isso também pode mudar de acordo com a tradição. Na Índia, por exemplo, as noivas usam vermelho para mostrar que têm força e energia para a nova vida que se inicia.

3. Véu e grinalda

O véu tem vários significados ao redor do mundo, mas, como vimos, foi popularizado após o casamento da rainha Victória. Na Grécia Antiga, acreditavam que o véu protegia a noiva do mau-olhado das mulheres e da cobiça dos homens.

Para os árabes, o véu que se chama hijab, “separa as duas coisas” — a vida de solteira e a de casada. O véu também faz referência à deusa da honestidade, “Vesta”, que, na mitologia, era protetora do lar.

Já a grinalda não tem uma origem conhecida, mas nasceu com o véu. Porém, está longe de ser apenas um acessório. É uma forma de diferenciar a noiva das demais convidadas na cerimônia e festa de casamento. Além disso, faz com que ela pareça uma rainha. Alguns ainda acreditam que quanto maior a grinalda, maior é o seu status e poder aquisitivo.

4. O buquê da noiva

O buquê da noiva também é cheio de simbologia. Na Idade Média, a noiva caminhava até a igreja e pegava as flores, ervas e temperos que ganhava das pessoas no caminho. A flores simbolizavam fertilidade e as ervas e temperos tinham a função de espantar os maus espíritos.

O hábito de jogar o buquê surgiu no século XIV. Este ato representa a despedida da noiva da vida de solteira. Também é uma forma de compartilhar a felicidade do casal com os convidados.

Atualmente, esse ritual acontece da seguinte forma: a noiva reúne as convidadas solteiras e lança o buquê (virada de costas) para que elas o peguem. Acredita-se que a convidada que pegar o buquê terá sorte no amor ou, se já estiver em um relacionamento, será a próxima a casar.

5. Chuva de arroz

Assim que a cerimônia acaba, os noivos saem da igreja e vão para a tão esperada festa de casamento. Mas antes, na saída da cerimônia, eles recebem a famosa chuva de arroz dos convidados.

Esta é uma tradição que surgiu há mais de quatro mil anos, na antiga China. Diz-se que um mandarim que queria demonstrar sua riqueza, providenciou uma chuva de cereal após a celebração de casamento de sua filha.

O arroz é considerado um símbolo de frutificação e prosperidade. Por isso, jogá-lo ao casal é uma forma de desejar fertilidade para a noiva e prosperidade para os noivos.

Muito tempo depois, o arroz foi substituído por pétalas de rosas. Isso porque o restante do arroz que ficava no chão após a cerimônia era comido pelos pássaros, o que é muito prejudicial para o organismo deles.

Atualmente, essa tradição já tem algumas variações. As bolinhas de sabão são um sucesso para os casamentos durante o dia, afinal, além de não sujarem, ficam lindas nessa paisagem. Os “sparklers”, aquelas varetas que soltam faíscas, também estão em alta.

​Os confetes coloridos são alegres e podem ser redondinhos ou em formato de coração. O balão de gás hélio também já foi usado em muitos casamentos — os convidados soltam os balões assim que os noivos passam. Além disso, os casais podem escolher e abusar na criatividade, usando algo que faça sentido para eles.

6. Lado dos noivos no altar

Tradicionalmente, a noiva deve estar no lado esquerdo do noivo. Isso porque, na Idade Média, os anglo-saxões relacionavam a questões de segurança e proteção. Se algum homem tentasse roubar a noiva, o futuro marido poderia defendê-la, com sua espada, usando o braço direito para o combate. Diz-se ainda que esse lado afasta a infidelidade no casamento.

A noiva sempre entra do lado direito do seu pai/irmão/padrasto/avô ou ente querido. Ao chegar no altar, faz a troca do buquê (da mão direita para a esquerda) e se posiciona ao lado esquerdo do futuro marido.

Esses seis tipos de tradições e curiosidades são apenas uma parte de todo esse universo. Além disso, hoje em dia muitos casais querem sair do convencional e inovar no dia mais incrível de suas vidas. O que importa é que façam esse dia ser inesquecível para eles.

Você imaginava que por trás desses ritos da festa de casamento existia tantas histórias? Conte para a gente o que você achou nos comentários, vamos adorar saber a sua opinião ou alguma história que queira compartilhar!

Autor

Escreva um comentário

Share This